Casa das Rosas oferece Curso Livre de Preparação do Escritor

Amantes da Arte da Palavra já têm uma nova razão para visitar um dos endereços mais icônicos da capital paulista – a Avenida Paulista. É lá que fica a Casa das Rosas, também conhecida como Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura, responsável pelo Curso Livre de Preparação do Escritor (CLIPE) 2017.

 

 

O Curso

A proposta do curso é tratar especificidades da teoria e da prática literárias dos gêneros poesia, prosa e ensaio ao longo de oito módulos de duas horas cada. De acordo com uma recente integração dos programas de instituições culturais distintas, as turmas ficarão divididas em três grupos, sendo que a Casa das Rosas se encarregará das turmas de poesia e de prosa; a Casa Mário de Andrade assumirá a turma de ensaio; já a Casa Guilherme de Almeida acolherá palestrantes especialistas da temática literária.

 

As inscrições

Os interessados em fazer parte da 5ª turma do CLIPE devem ter mais de 18 anos e podem realizar as inscrições entre os dias 23 de janeiro e 05 de fevereiro gratuitamente, preenchendo o formulário disponível na recepção da instituição, localizada no número 37 da famosa avenida paulistana, no bairro da Bela Vista.

Outro importante quesito para a participação – que poderá ocorrer em mais de um gênero – é o envio de material amostral dos dotes literários dos inscritos no gênero pretendido, não excedendo cinco páginas A4 com texto formatado em corpo 12 da fonte Times New Roman com espaço simples. Contam com menor peso as avaliações de um breve currículo de cada candidato e das expectativas em relação ao curso, que, a exemplo da inscrição, é gratuito.

 

As vagas

Após análise do material realizada por uma comissão de especialistas, os nomes dos participantes selecionados serão divulgados até o dia 24 de fevereiro. Ao todo são 90 vagas, sendo 30 para cada gênero e mais 10 em lista de espera para cada turma.

 

As aulas

As aulas serão entre março e novembro e ocorrerão entre 19h30 e 21h30 às quintas-feiras e entre 10h e 12h aos sábados. O foco à linguagem se dará pelo aspecto criativo, recorrendo a autores de referência, estilos e técnicas de produção. Ao final do curso, cada aluno receberá um certificado de participação fornecido pelo Centro de Apoio ao Escritor (CAE) – vinculado à Casa das Rosas.

A expectativa do CAE é contribuir tecnicamente para que autores iniciantes aprimorarem sua escrita e assim poder aproximá-los do profissionalismo da criação literária a partir da produção livre.

 

Serviço

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Avenida Paulista, 37 – Bela Vista, São Paulo – SP

(11) 3285-6986 [email protected]

Miss bumbum tatua rosto de Donald Trump nas costas

A Miss bumbum de 2016, Érica Canela, de 20 anos, fez uma tatuagem com o rosto do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, nas costas, abaixo do pescoço.

A ideia da modelo vencedora da edição de 2016 do concurso Miss bumbum, que já premiou em edições anteriores a goiana Dai Macedo em 2013, a catarinence Indianara Carvalho em 2014 e em 2015 a musa Susy Cortez, é perpassar uma mensagem de paz, “um sinal de bandeira branca”, em que se pretende mudar a imagem que o presidente eleito dos EUA, avesso a imigrantes, tem dos latinos – uma de sua promessas de campanha foi construir um muro para impedir que mexicanos entrassem ilegalmente nos EUA, e endurecer leis de extradição.

Para a Miss bumbum, o ato de tatuar a imagem do bilionário apresentador da versão original de “O aprendiz”, deve ser encarada como um “pedido de mais amor e solidariedade. “Quero que esse ato seja capaz de dizer ‘paz’. Estamos todos juntos, mulheres, imigrantes… todos”, disse Érica em entrevista ao jornal britânico Daily Mail.

A modelo encara as críticas com simplicidade: “Sei que muitos irão me odiar por esse motivo, outros podem até gostar, mas é um pedido de paz. Sou latina, sou mulher e não conheço os Estados Unidos, mas acredito que os discursos de ódio só trazem ódio”, pontua a baiana.

Érica recebeu a faixa Miss bumbum no dia nove de novembro de 2016, mesma data em que Donald Trump derrotou Hilary Clinton.

O bilionário traçou toda sua campanha baseada em polêmicas, falando de imigração, aversão ao politicamente correto, às leis ambientais e toda a rota traçada pela administração Obama.

Érica realizou a tatuagem no Brasil, antes de seguir para a Venezuela onde posará para a Playboy venezuelana, cuja edição com seu ensaio deve sair no próximo mês na terra de Nicolás Maduro.

A modelo foi vítima de racismo nas redes sociais assim que ganhou a premiação. Érica foi criticada por negar suas origens ao manter os cabelos loiros,”Negra? Para mim é morena querendo ser loira”,”Negra querendo ser loira? Quem são os racistas?”, “Negra ela é, só que ela não quer ser”, diziam internautas em seu Instagram.

Pela rede social, a vencedora do Miss bumbum escreveu uma mensagem defendendo-se dos comentários nocivos : “A cor do cabelo não tem nada a ver com aceitação. Existem pessoas brancas de cabelos negros e por que pra elas ‘ok’, e pra mim, é ‘não aceitação’ da cor da pele? #sempreconceito”, postou a baiana vencedora.

Marcio Alaor do BMG, noticia sobre o relatório de previsões econômicas da ONU

Após dois anos seguidos de recessão econômica, a Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou em seu relatório anual Situação Econômica Mundial e Perspectivas 2017, que a América Latina e o Caribe irão voltar a crescer nesse ano, porém, esse crescimento será lento, em razão das dificuldades internas e externas enfrentadas pelos países da região atualmente, informa o executivo do Banco BMG, Marcio Alaor.

Segundo esse estudo promovido pela ONU, o Produto Interno Bruto (PIB) da América Latina e Caribe irá crescer cerca de 1,3% em 2017 e 2,1% em 2018, depois de ter tido uma retração aproximada de 1% no ano passado. O relatório, projetou também uma queda de 3,2% do PIB brasileiro em 2016 e um crescimento de 0,6% e 1,6% para os anos de 2017 e 2018, respectivamente. Para a ONU, a recuperação econômica dos países do continente será sustentada por uma demanda externa elevada, pelo aumento no valor das commodities e também pela adoção de políticas monetárias menos restritivas na América do Sul, noticia o executivo do Banco BMG, Marcio Alaor.

Em relação a América do Sul especificamente, o relatório das Nações Unidas estima que o PIB da região tenha recuado cerca de 2,3% em 2016, em consequências das graves recessões econômicas enfrentadas por Argentina, Brasil, Venezuela e Equador. Mesmo os países que continuaram crescendo, como o Chile e a Colômbia, já apresentavam sinais de desaceleração desde o ano de 2015. Assim, entre os únicos países que tiveram um crescimento substancial no continente estão a Bolívia e o Peru, que conseguiram enfrentar o período de turbulência e recessão regional sem se saírem prejudicados com isso.

 

Nos próximos dois anos, a ONU prevê que o continente sul-americano terá um crescimento de 0,9% em 2017 e de cerca de 2% em 2018, pois é esperado que o Brasil e a Argentina, as duas principais potências econômicas da região, superem seus períodos de recessão. Contudo, o estudo ressalta que a retomada do crescimento no Brasil será mais lenta, tendo em vista o cenário do país de aumento no desemprego e os ajustes fiscais em curso, reporta o executivo do BMG, Marcio Alaor.

Já na América Latina e no Caribe, os maiores fatores de risco na retomada do crescimento econômico são a atual desaceleração da China, que é o principal consumidor de commodities, e uma possível adoção de medidas protecionistas do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, informa Marcio Alaor do BMG. Segundo o relatório, as perspectivas de crescimento na região estão caindo devido a grande dependência por matérias primas e ao crescimento lento da produtividade local.

Uma das preocupações das Nações Unidas é o fato de que um período prolongado de baixo crescimento na região caribenha pode colocar em risco os avanços sociais que foram obtidos durante a última década e dificultar o alcance das metas estabelecidas pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), noticia Marcio Alaor, do Banco BMG. Os chamados 17 ODS consistem em mais de 150 metas e representam um papel essencial na Agenda para o Desenvolvimento Sustentável da região que está em vigor desde 2016.

Detran do Distrito Federal arrecada R$ 110 milhões em 2016

O Departamento de Transito do Distrito Federal, Detran – DF, arrecadou no ano de 2016 cento e dez milhões de reais, após um longo período de quedas de arrecadação de multas e outros serviços.

O montante conseguido em 2016 só não ultrapassa a marca histórica do órgão, ocorrida no ano de 2013, em que caíram nos cofres públicos cerca de cento e dezessete milhões de reais.

O número foi divulgado na prestação anual de contas do Departamento realizada sexta-feira, 13 de janeiro de 2017, no portal do órgão em que se podem conferir as prestações de contas dos anos anteriores.

O Detran – DF afirmou numa nota à imprensa que a alta arrecadação se deve ao alto licenciamento de veículos em 2016 realizado pelo órgão, que calcula serem cerca de 85% dos veículos que circulam nas ruas do Distrito Federal o total de veículos licenciados pela repartição.

O Detran – DF pontua ainda que uma tentativa, realizada pelo órgão público, de facilitar o pagamento dos débitos em atrasos contribuiu para o alto volume de dinheiro arrecadado.

Outa contribuição significativa foi o reajuste anual dos serviços prestados pelo Detran, e o aumento do valor das multas fixadas pelo Governo Federal, do presidente Michel Temer. Dos mais de R$ 410 milhões arrecadados ao longo de 2016,mias de R$ 110 milhões vêm da cobrança de multas e outros quase trezentos mil reais dos próprios serviços realizados pelo órgão.

Na educação de trânsito, o Detran – DF investiu um montante de R$ 21 milhões. Com a fiscalização do trânsito no Distrito Federal foram gastos mais de R$ 10 milhões. Outros quase cinquenta milhões de reais foram direcionados a serviços de engenharia de trânsito.

Histórico Recente

Em 2015, o órgão realizou campanhas de conscientização dos motoristas quanto à seguranças nas vias públicas e o respeito ao pedestre. Realizou, ainda, uma campanha intitulada “volta às aulas”, que buscou conscientizar pais, alunos e motoristas dos perigos que correm crianças e adolescentes ao transitarem pelas ruas do Distrito Federal e as medidas que os motoristas são obrigados a adotar, como por exemplo, não fazer retorno sobre a faixa.

Em novembro de 2016, o órgão apreendeu 121 veículos em todas as cidades do Distrito Federal, em que oito motoristas perderam os veículos em que se locomovam por dirigirem alcoolizados, doze por falta da Carteira de Motorista (CRH) e sessenta e nove por falta de documentos, outros seis, na ocasião, foram levados ao pátio do órgão por estacionamento irregular.

 

Sinestésicos e o mercado de trabalho

A sinestesia é desencadeamento de um fenômeno neurológico, ou seja, é a capacidade de uma mesma pessoa sentir duas sensações de natureza distinta através de um único instigo no mesmo momento.

 

A pessoa que possui essa condição neurológica nomeada sinestesia tem seu cérebro trabalhando a qualquer momento com sensações de natureza distinta como por exemplo: uma cor pode representar um som, uma cor pode representar um aroma, isso mesmo, uma cor pode ter um sabor ou pode também ter uma forma, uma pessoa sinestésica pode ver a cor do vento.

 

Como saber se sou sinestésico A sinestesia pode ser detectada por meio de relatos, não existe um exame para confirmar, existem pontos importantes como o explica o link: http://super.abril.com.br/saude/todos-os-sentidos/

 

 

Os pontos para conseguir detectar a sinestesia de forma geral são:

A condição sinestésica é involuntária: não são todos os momentos que ela estará presente e o sinestésico não pode escolher quando irá senti-la ou vê-la;

A sinestesia é concreta e não uma transição mental, ao contrario do que muitos pensam a sinestesia não é considerada pela medicina como uma doença, por isso, não pode ser tratada;

As percepções não são curtas elas perduram por longos períodos e não tem alteração com o passar dos anos, ou seja, quando um sinestésico sente um sabor referente àquela cor, ele sempre irá associar aquela cor com o mesmo sabor;

Essas sensações são praticamente imperceptíveis para outras pessoas, não é possível identificar um sinestésico facilmente, o sinestésico pode ter uma vida normal em sociedade;

O sinestésico tem a característica de perceber as sensações de forma genérica, ou melhor, ele lembra a cor daquele som mais detalhes da musica são esquecidos, visto que sua memória trabalha com associações.

 

Como o mercado de trabalho enxerga um profissional sinestésico? A sinestesia é vista como uma qualidade, visto que, o profissional tem o sétimo sentido desenvolvido segundo corrobora o link: https://oitodezoito.com.br/2012/07/23/os-7-sentidos-da-comunicacao-para-o-bom-lider/

e a pessoa dotada de tal qualidade pode desempenhar sua função de outra forma com outra visão, imagine ter um profissional sinestésico em sua empresa e que a mesma irá desenvolver um comercial para o lançamento da um novo carro, esse profissional irá conseguir devido a sua qualidade/habilidade e o seu tipo de sinestesia ligar a cor do carro com a nota musical mais adequada, um sinestésico pode ser estimulado a desenvolver suas habilidades e já pensou no diferencial que sua empresa terá com esse profissional.

Claudio Loureiro faz da Heads uma das maiores agências do Brasil

Um publicitário com um forte perfil empreendedor e mais conhecido por seus investimentos em empreendimentos voltados para a área da cultura. Claudio Loureiro é criador da quarta maior agência de publicidade do Brasil, com 26 anos de atividades ininterruptas desde a sua criação, também é destaque por ser uma das melhores agências de comunicação nacional para trabalhar.

 

O empresário nasceu em Curitiba e se formou em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR. No ano de 1997, Claudio Loureiro foi consagrado pelo Prêmio Colunista como sendo o melhor profissional da área publicitaria do ano. Seu grande marco como profissional foi a criação de sua renomada empresa Heads propaganda, que é muito bem vista e requisitada no Brasil.

 

A agência conta com grandes clientes dentre eles: Petrobrás, Shop Sul, Caixa Econômica Federal, Caixa Seguradora, Grupo Boticário, Positivo Informática, Arbor, Volto, SEBRAE, entre outros. Ela é conhecida por ser uma empresa diferenciada em seu segmento, sendo eleita no ano de 2011 como uma das melhores agências de comunicação nacional para trabalhar no Brasil pelo GPTW – Instituto Great Place to Work. Na comemoração de 25 anos da agência em 2014, Kofi Annan, ex-secretário da ONU e do Prêmio Nobel da Paz, foi um dos requisitados convidados.

 

Claudio Loureiro, tem residência permanente no Rio de Janeiro, onde mora com sua esposa e seus dois filhos. Ele é sinônimo de inovação no mercado publicitário, pois está sempre em busca de inovar no jeito de fazer propaganda, buscando ideias inusitadas que na maioria das vezes dão muito certo para a empresa. Claudio Loureiro acredita fielmente no sucesso de sua empresa, e além disso, acredita que toda empresa alcança o sucesso correndo riscos. Sua certeza foi e é tão grande, que com o crescimento da empresa, ele investiu cerca de 9 milhões de reais na compra e reforma de um prédio pequeno de quatro andares em Ipanema.

 

O dono da Heads propaganda, também se mostra apaixonado no que diz respeito seu país. Ele busca em todos os momentos que pode explorar as belezas naturais e aproveitar todo o potencial que o Brasil oferece. Pensando nisso, ele conseguiu trazer o ilustre diretor Woody Allen para uma negociação no Brasil sobre um filme que seria filmado em sua cidade, Rio de Janeiro. O filme seria o primeiro que Woody Allen iria dirigir na América Latina. Além disso, Claudio Loureiro teve participação como produtor no filme Rio, Eu te amo. Outra produção dele foi o musical e espetáculo “A night with Janis Joplin”, que passou pela Broadway. Foi premiado com o Prêmio Criação – CRP – na categoria de responsabilidade social no ano de 2013 e atualmente faz parte da filial brasileira do grupo YOP – Young Presidents Organization – que reúne chefes executivos e líderes empresariais de todo o mundo.

 

A agência, assim como seu fundador, estão sempre em prol de causas sociais como a igualdade de gênero, sendo a primeira empresa a se alinhar com os Princípios de Empoderamento das Mulheres da ONU, além de trabalhos realizados para a Sea Sheperd, que proteger a água e a vida marinha.

 

 

Apple sofre pressão para lançar novos produtos

Há cerca de dez anos, no dia 9 de janeiro de 2007, uns dos objetos que revolucionou o mundo em termos de praticidade, informação e comunicação era apresentado ao público pelo inventor e empresário americano do ramo da informática, fundador da Apple, Steve Jobs – o iPhone.

O aparelho mudou a indústria dos telefones celulares e os costumes dos usuários. A sua criadora, a famosa empresa da maçã, no entanto, atualmente, sofre a pressão de voltar a impressionar e trazer novos produtos tão revolucionários quanto ao lançado anos atrás. Muitos acreditam, porém, que com a morte, em 2011, de Jobs, considerado um visionário, o poder criativo da empresa tenha cessado.

O iPhone, aparelho celular com tela tátil, função conhecida como Touch Screen, foi lançado justamente em um momento em que o mercado em questão estava dominado pelos telefones com teclado Blackberry, aquele com os botões salientes. O que mais impressiona na criação da Apple, entretanto, foi o fato dela ter permitido que fossem criados aplicativos que, hoje em dia, possibilitam que o usuário de um celular tenha a capacidade de enviar mensagens instantâneas por Snapchat, por exemplo, e até transmitir vídeos ao vivo ou tuitar.

O analista da empresa especializada, a americana Gartner, Brian Blau, na feira de eletrônicos mais importante do mundo, a Consumer Eletronics Show (CES), que aconteceu em Las Vegas, do dia 5 ao dia 8 de janeiro, salientou que “a Apple permitiu o desenvolvimento destes aplicativos, que transferiram toda uma plataforma informática móvel aos bolsos” das pessoas. Ele ainda acrescentou: “O iPhone mudou o mundo porque hoje a informática móvel faz parte da vida cotidiana das pessoas”, destacou Blau.

Contudo, apesar da Apple ter sua grande invenção reconhecida – como demonstra Maxwell Ramsey, do site de informação especializada em telefonia móvel, phoneArena.com, quando afirma que o que a Apple “fez é bastante notável” e, segundo ele, não há duvidas de que “sempre estamos navegando nesta onda nascida em 2007” – a queda das vendas dos produtos da empresa, registrada pela primeira vez ano passado, demonstrou que as funcionalidades e os benefícios à indústria da eletrônica gerados pelo grande desenvolvimento revolucionário já não impressiona mais tanto assim. É preciso inovar, é preciso surpreender com algo diferente e eficiente, mais uma vez.

Essa pode ser a única alternativa para evitar maiores consequências, visto que de acordo com um documento enviado aos reguladores americanos na sexta-feira, 6 de janeiro, o diretor-executivo da toda poderosa Apple, Tim Cook, bem como outros responsáveis tiveram que amargar uma queda também nos seus salários, já que os objetivos internos da empresa não foram alcançados.

Por conta da queda nas vendas do iPhone, diminuíram os lucros registrados pela empresa no terceiro trimestre. Todavia, o que empolga é que as receitas provenientes dos serviços são um ponto positivo no que se refere aos esforços da marca para sair dessa dependência do sucesso eterno do iPhone.

A Apple Store, a “loja de aplicativos” da empresa, por exemplo, registrou o melhor dia de sua história em relação às vendas on-line no Ano Novo. Conforme declarações da Apple, desde que a Apple Store foi lançada, isso em 2008, os desenvolvedores faturaram mais de 60 bilhões de dólares graças a aplicativos que foram criados sob medida para os aparelhos da marca.

A pressão, porém, para que o próximo objeto revolucionário seja lançado, mesmo não tão revolucionário quanto o iPhone, segue. Alguns projetos estão em andamento, dentre eles, um automóvel autônomo. Agora é esperar.

 

 

 

 

Origem das batatas pode ser desvendada a partir de um fóssil de 52 milhões de anos

A Patagônia argentina foi cenário de uma importante descoberta arqueológica, que pode trazer à tona a origem de legumes como a batata, o tomate e o pimentão. Cientistas estimam que o fóssil deva ter em torno de 52 milhões de anos. Para Peter Wilf, trata-se de algo incrível e ao mesmo tempo incomum. Até o momento não existem muitos detalhes acerca do que foi encontrado, já que apenas sementes haviam sido vistas.

 

A classificação botânica recebida pelo fóssil, é a do gênero Physalis, que compõe a família dos organismos denominados de Solanaceae. Localizado em uma floresta considerada fossilizada, o achado tem intrigado a comunidade científica. Há uma corrente que acredita que a nova descoberta possa ser muito mais antigo do que se estima, podendo dar pistas sobre a origem de alguns conhecidos vegetais.

 

Em território brasileiro, a família Solanaceae é responsável por boa parte dos itens presentes na alimentação da população. Tamanha importância se justifica pelo fato de alimentos como o pepino, a batata, o tomate e a berinjela serem componentes que pertencem à essa classificação, que possui cerca de 350 espécies e 32 gêneros apenas no maior país da América Latina. Dessa maneira, o aprofundamento dos estudos referentes à descoberta pode trazer importantes informações sobre a dieta dos habitantes latinos.

 

Peter Wilf destaca que este foi o único fóssil de uma fruta pertencente a este grupo de vegetais já encontrado e que atualmente há em torno de duas mil espécies que compõem tal família de plantas. O cientista é conhecido por também lecionar a disciplina de Geociências na renomada Universidade da Pensilvânia, localiza nos Estados Unidos. Nessa pesquisa ele empregou seus aprofundados conhecimentos ao explorar parte do território argentino.

 

Em entrevista à rede BBC, Wilf disse se tratar de algo realmente muito raro, uma vez que é incomum um fruto de natureza tão delicada tenha se fossilizado por milhões de anos. Ele explicou que há uma grande lacuna na história que trata da origem das plantas, pois raramente são encontrados fósseis que expliquem sua trajetória evolutiva ao longo das eras.

 

Cientistas afirmam que o recente fóssil descoberto possui estreito parentesco com fisális e tomates mexicanos. Composto por um pequeno fruto e muitas sementes envoltos em uma casca , o achado é considerado comestível. Anteriormente, a ciência acreditava que tais plantas tivessem sua evolução de forma simultânea à época em que surgiu a Cordilheira dos Andes, algo que foi revisto pela comunidade científica mundial, já que as descobertas apontam para novos caminhos da história evolutiva dr alguns vegetais.

 

Na época em que a espécie encontrada habitava o território sul-americano, há 52 milhões de anos, a temperatura da terra era considerada muito mais alta que na atualidade, afirmam alguns cientistas. Eles explicam que há indícios de que a América do Sul estava ligeiramente mais próxima da Austrália e da Antártida, em se comparando com sua localização atual.

Para o pesquisador Rubén Cuneo, a história do reino animal poderá sofrer modificações em virtude do estudo do material descoberto.

 

Anatel anuncia queda de 13,7 milhões de linhas móveis em 2016

Segundo um anúncio feito pela Anatel, nesta quinta-feira, dia 19, o número de chips ativos no país tem caído no ano de 2016 em relação à 2015. A queda foi cerca de 13,7 milhões, mesmo assim o ano ainda fechou com um total de 244 milhões de acessos móveis.

Esses dados liberados pela Agencia Nacional de Telecomunicações, apontam que o consumo de muitas linhas, como acontecia antes, vem caindo por alguns motivos de ordem econômica. Um deles é a queda da tarifa de interconexão, aquela que é cobrada em relação às ligações entre operadores diferentes.

Durantes anos anteriores, a tendência de consumir mais de um chip devido às altas tarifas de interconexão estava crescendo, assim um único cliente adquiria um celular com mais de uma entrada Sim card, podendo chegar em até quatro em um único aparelho. Assim cada cliente via a necessidade de manter mais de uma linha para poder economizar em seus gastos.

Segundo a empresa, ouve também uma queda significativa em relação aos consumidores de placas de internet móvel e máquinas de cartão de crédito que utilizam chips.

Dentre as operadoras brasileiras, a que teve maior queda foi a OI, sendo 12,32%. Em seguida temos a Claro com 8,8%, a Tim com 4,25% e a Vivo com apenas 0,7%.

 

Pós pago e 4G

Mesmo com a queda da utilização de várias linhas, os usuários que optam pelo pós pago vem aumentando cada vez mais, chegando a cerca de 6 milhões.

Em relação a utilização do sistema de conexões 4G, somente no ano passado houve um aumento de 25,4 milhões de usuários pós pagos para 60,1 milhões, cerca de 136,2%. Isso devido à maior necessidade de rapidez nas conexões e trocas de informação, uma vez que a conexão 4G pode chegar a ser 4 vezes mais rápida que sua antecessora, a conexão 3G.

É importante mencionar que as áreas de cobertura 4G ainda são limitadas e que a Anatel está em negociações com as operadoras para a licitação da faixa de 700 Mhz, que atende muitos lugares, uma vez que faz parte do sinal Analógico de TV.

Outro dado que foi citado, as conexões 3G e 2G tiveram uma queda de 22,5%, o que equivale à cerca de 48,4 milhões de usuários.

 

O aumento da tarifa do pós pago

Desde Dezembro do ano passado, as operadoras tem anunciado o aumento das tarifas a serem cobradas de seus planos pós pagos.É importante sempre estar atento a esses anúncios e estar ciente desses aumentos. Ainda não se sabe se isso afetará a quantidade de usuários pós pagos de maneira positiva ou negativa, mas por certo trará um gasto a mais ao consumidor neste ano.

Para maior informações acesse o site da Anatel e acompanhe todos os novos anúncios, no link a seguir: Anatel